Transição verde: o que é e como promovê-la?

16/05/2022 | Santander Universidades

Você sabia que, em 2050, dois terços da população viverá em cidades? Isto é 20% a mais do que hoje em dia. De acordo com um estudo realizado pela Organização das Nações Unidas (ONU), atualmente, as cidades consomem mais de 75% dos recursos naturais, geram entre 60% e 80% das emissões de gases de efeito de estufa e produzem mais de 50% dos resíduos mundiais. Desse modo, se as cidades continuarem a se expandir infinitamente, até onde irão as suas consequências?

A realidade é que devemos deixar de lado a economia do “take-make-waste”, isto é, o conceito oposto ao modelo de economia circular e sustentável, onde as matérias primas são extraídas e se transformam em produtos que, após seu uso, são descartados como resíduos. A única maneira para que a humanidade continue a habitar este planeta é reformulando o discurso do crescimento infinito e transformando nossa maneira de aproveitar os recursos que a Terra nos brinda. Por esta razão, se quisermos garantir o nosso futuro, devemos apoiar a transição verde, mas você sabe o que exatamente isso significa? Nós contamos.

O que é a transição verde?

A transição verde, ou transição ecológica, consiste na estratégia de mudança social que deve nos permitir transformar a atual situação global, ambientalmente insustentável, num novo paradigma sustentável "que seja motor de desenvolvimento e de paz, destinado a melhorar as condições de vida de todos", como afirma o manifesto publicado pela ONU-Habitat em seu Plano Estratégico 2020-2023. Neste sentido, o principal objetivo é promover um futuro urbano sustentável, já que o crescimento das cidades é uma tendência incessante e estamos num ponto em que as desvantagens devem ser transformadas em oportunidades. 

Além disso, a transição verde também significa combater as mudanças climáticas através de ações concretas, como a imperativa redução das emissões de gases de efeito estufa. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 9 em cada 10 pessoas do mundo respiram ar poluído.

 green transition: energía solar en una gran ciudad

O que é o Acordo de Paris e o que foi decidido nele?

As bases daquilo que hoje conhecemos como transição ecológica foram estabelecidas no Acordo de Paris. Este foi o "primeiro acordo global sobre as mudanças climática, universal e juridicamente vinculativo, adotado na Conferência do Clima de Paris (COP21), em dezembro de 2015". Seu objetivo principal era conseguir, através de diferentes fórmulas, que a temperatura do planeta nunca ficasse mais que 1,5 ºC acima do nível da era pré-industrial. 

Mas que medidas os países podem tomar para atingir este objetivo, tão importante para a sobrevivência da humanidade?

  • Desenvolver e priorizar um plano político de ação climática. Por exemplo, na Espanha, o Ministério da Indústria, Energia e Turismo se transformou no Ministério para a Transição Ecológica e o Desafio Demográfico.

  • Promover a descarbonização e favorecer a energia verde em oposição aos combustíveis fósseis.

  • Aposte no transporte ecológico. 

  • Aumentar os investimentos em eficiência energética.

  • Apoiar a inovação nas empresas e na ciência.

  • Conceber mercados elétricos competitivos.

  • Desenvolver planos de ação e estratégias nacionais para a economia circular.

  • Reforçar os investimentos públicos ecológicos.

Com estas e muitas outras ações, todos os países se comprometem a promover a transição verde dos seus territórios, a fim de conseguir que o nosso planeta alcance uma nova realidade sustentável

Com efeito, a nível europeu e após árduas negociações, no ano de 2021, os objetivos climáticos foram renovados para se adaptarem à atual emergência ambiental. Assim, a sua meta é reduzir em 55% os gases do efeito estufa até 2030 e, a partir de 2050, fazer da Europa um emissor "negativo", com maior capacidade de compensação que de produção de gás.

Como você pode fazer parte da transição verde?

Escolher a energia verde, utilizar transportes públicos sustentáveis ou trabalhar nossa consciência pública são partes importantes do processo de transição ecológica, mas a realidade é uma só: a verdadeira mudança só será alcançada se for realizada uma estratégia integradora e colaborativa entre todas as partes que compõem a sociedade. 

Tanto a nível individual como empresarial, é de vital importância apoiar projetos de inovação que contribuam para a sustentabilidade além de green washing e, por sua vez, continuarmos a nos qualificar de maneira contínua a fim de nos unirmos à mudança a partir de uma posição transformadora. 

Um grande exemplo disso é a cidade de Lahti, que foi escolhida como Capital Verde Europeia em 2021. Trata-se de uma cidade da Finlândia que, graças à cooperação entre cidadãos, empresas e a Administração Pública, passou de uma cidade industrial a referência em sustentabilidade, economia circular e neutralidade climática. 

electric-car

O Banco Santander e seu compromisso com a transição verde: Bolsas Santander Sustainability

A transição verde não será possível se as pessoas não tiverem a consciência, o conhecimento e as competências necessárias para impulsioná-la; por isso, a grande importância de se continuar a aprender de maneira constante. Com este propósito, no seu compromisso com a educação e a formação contínua como um dos motores mais eficazes para acelerar o processo de transição para uma economia verde, o Banco Santander lança a convocatória de 1.000 Bolsas Santander Sustainability | Skills for the Green Transition - Cambridge Judge Business School.

Através do Santander Universidades e junto com a Cambridge Judge Business School, uma das principais instituições mundiais em pesquisa sobre temas de sustentabilidade, ele oferece este programa destinado a pessoas que querem fazer parte das iniciativas ecológicas do seu ambiente de trabalho ou que buscam redirecionar a sua carreira profissional para a sustentabilidade. O curso 100% online de seis semanas é ministrado por especialistas de primeira linha e não tem custo algum para os beneficiários. Também não é necessário possuir um diploma universitário ou ser cliente do Banco Santander. 

Neste programa, você poderá assimilar os conceitos chave sobre meio ambiente; vai identificar os principais desafios a partir de exemplos e casos de empresas líderes em tópicos de ASG; irá conhecer como as questões ambientais afetam organizações e mercados; vai aprender habilidades, ferramentas e marcos  para que você possa ser parte ativa da mudança dentro de sua organização, além de desenvolver seu próprio plano de ação individual. Além disso, você receberá um Certificado de Conclusão concedido pela Cambridge Judge Business School.

 

Você tem mais de 18 anos e quer trabalhar em prol de um futuro mais limpo? Se deseja adquirir todos os conhecimentos e ferramentas para contribuir para o desenvolvimento sustentável, inscreva-se nas Bolsas Santander Sustainability | Skills for the Green Transition - Cambridge Judge Business School. Aproveite a oportunidade e comece a gerar soluções para liderar a mudança!

Más posts interesantes que leer...