O que é a sustentabilidade: definição, tipos e exemplos

07/04/2022 | Santander Universidades

Você sabia que, a cada minuto, são jogadas fora um milhão de garrafas de plástico e que, a cada ano, são descartadas cinco milhões de sacolas plásticas usadas somente uma vez? É isso que os dados da ONU indicam. Se a situação atual continuar, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050. 

Levando isso em consideração, se quisermos atender às necessidades da população atual e garantir as das gerações futuras, é fundamental promover e estimular práticas sustentáveis. Por esta razão, neste artigo explicamos o que é a sustentabilidade, quais tipos existem e oferecemos alguns exemplos de empresas e cidades que  apostam em um futuro sustentável.

O que é a sustentabilidade?

A sustentabilidade consiste em atender às necessidades das gerações atuais sem comprometer as necessidades das gerações futuras, garantindo ao mesmo tempo um equilíbrio entre o crescimento econômico, o respeito pelo meio ambiente e o bem-estar social. 

Como vimos na introdução, os plásticos são um problema grave para os oceanos. De acordo com estes mesmos dados da ONU, mais de três milhões de pessoas dependem dos mares para sua subsistência. Portanto, a situação atual deve mudar se quisermos cumprir o objetivo 14 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): "preservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável". 

mudança climática e sustentabilidade

Quais tipos de sustentabilidade existem?

Como apontado pelo relatório do Painel Intergovernamental de Especialistas sobre Mudanças Climáticas (IPCC), mesmo que as emissões de gases de efeito estufa fossem reduzidas de forma radical hoje, é provável que o aquecimento global exceda 1,5 graus Celsius num futuro próximo. Este aumento da temperatura pode ter consequências desastrosas, como o derretimento das geleiras, o desaparecimento de espécies animais e vegetais, incêndios florestais e secas, entre outras. 

Por isso, tanto pessoas como empresas têm um papel fundamental a desempenhar na luta contra as mudanças climáticas e na promoção de medidas sustentáveis. A sustentabilidade não está relacionada apenas ao meio ambiente, mas também deve ser implementada em muitos outros aspectos. Nesse sentido, é importante destacar que existem vários tipos de sustentabilidade. 

Sustentabilidade ambiental.

A sustentabilidade ambiental é a que se concentra na preservação da biodiversidade sem renunciar ao progresso econômico e social. As bases da sustentabilidade ambiental são: cuidar da água, economizar energia, reduzir os resíduos, utilizar embalagens recicláveis, limitar ou eliminar o uso de plásticos, utilizar transporte sustentável, reutilizar papel e cuidar da flora e da fauna.

Um grande exemplo é a cidade sueca de Estocolmo, que se destaca por investir em infraestruturas sustentáveis, ter baixas emissões e possuir qualidade do ar muito boa, com uma taxa de poluição abaixo da média. Desta forma, a capital garante um equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e a proteção do meio ambiente. 

Outro exemplo é o Grupo Bimbo, que tem como objetivo reduzir seu impacto ambiental através da agricultura regenerativa com zero emissões de carbono, uso de energias renováveis e redução de resíduos.

Sustentabilidade econômica

Quando se cria uma empresa, é gerada uma estrutura na qual há custos e receitas. No momento em que se alcança um equilíbrio entre os dois fatores, a empresa passa a ter lucro. A sustentabilidade econômica trata-se da capacidade da organização de gerenciar seus recursos e de gerar lucratividade, de forma responsável, a longo prazo. 

Um exemplo é a Unilever, que em 2010 implementou uma estratégia para alcançar um equilíbrio entre sustentabilidade e desempenho econômico para seus negócios. Para isso, a empresa adotou várias medidas: aumentou a reciclagem de embalagens, incentivou o uso de materiais reciclados e realizou campanhas de conscientização para o consumo responsável. 

Podemos destacar também o caso da empresa Suez, que no seu Relatório de Desenvolvimento Sustentável de 2020, relata que reduziu em 95% as emissões relacionadas ao consumo de eletricidade, através da compra e geração de energia renovável. Além disso, a companhia implementou medidas de eficiência energética e, no que diz respeito à preservação dos espaços naturais, 81,5% das suas instalações estão livres de pesticidas e fitossanitários.

Sustentabilidade social

Em qualquer comunidade onde haja atividade econômica em um determinado ambiente, podemos encontrar as três formas de sustentabilidade conectadas: a ambiental, a econômica e a social. No entanto, a sustentabilidade social visa, em especial, fortalecer a coesão e a estabilidade de grupos sociais específicos

A empresa CEMEX, por exemplo, trabalha para contribuir para o desenvolvimento social das comunidades. Desta forma, esta empresa oferece moradia digna, através da autoconstrução e créditos com condições de acesso favoráveis, para as pessoas que mais precisam.

O Grupo Gigante também é outro exemplo, já que, através da Fundação Gigante, contribui com recursos para diversas causas sociais, como a entrega de material escolar a colaboradores ou assistência para a melhoria da saúde visual.

mulher trabalhando em empresa sustentável

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030

Para conhecer a fundo o que é a sustentabilidade e quais são as suas implicações, é fundamental citar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030. Sucessora dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, a Agenda 2030 é estruturada através dos chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que totalizam 17 objetivos

Neste sentido, a Organização das Nações Unidas (ONU) elabora um relatório anual para analisar progresso de cada objetivo. Na sequência, apresentamos uma breve análise sobre a realização atual das ODS com base no relatório de 2021:

  1. Erradicar a pobreza. Trata-se de um objetivo que foi afetado pela pandemia de covid-19. Estima-se que, em 2020, entre 119 e 124 milhões de pessoas a mais caíram na pobreza extrema.
  2. Erradicar a fome. A pandemia também afetou este objetivo. Entre 70 e 161 milhões de pessoas em todo o mundo passaram fome como consequência.
  3. Garantir uma vida saudável e promover o bem-estar de todos, em todas as idades. Depois de uma década de avanços neste sentido, a pandemia acarretou uma redução na expectativa de vida. Além disso, é difícil medir seu impacto real, já que faltam dados a respeito.
  4. Garantir uma educação de qualidade, inclusiva e equitativa. Embora a taxa de conclusão do ensino primário e secundário tenha aumentado, em muitos países faltam infraestruturas escolares básicas relacionadas à água potável e eletricidade.
  5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas. Também é necessário realizar avanços neste aspecto, uma vez que as mulheres têm representação de apenas 25,6% nos parlamentos nacionais, 36,3% nos governos locais e 28,2% nos cargos de gestão. 
  6. Garantir a disponibilidade e gestão sustentável da água e do saneamento para todos. Segundo os dados da ONU, 129 países não estão em dia para alcançar a meta de recursos hídricos sustentáveis até 2030. 
  7. Garantir o acesso a energia acessível, confiável, sustentável e moderna para todos. Ainda existem 759 milhões de pessoas no mundo sem acesso à eletricidade. 
  8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável. Embora a recuperação econômica esteja em curso, a pandemia provocou uma perda equivalente a 255 milhões de postos de trabalho em tempo integral.
  9. Construir infraestruturas resilientes, promover uma industrialização inclusiva e sustentável e promover a inovação. A produção industrial mundial caiu em 2020, mas ao final desse ano, a fabricação de produtos de média e alta tecnologia impulsionou a recuperação econômica.
  10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles. Para atingir este objetivo até 2030, é necessário maior desenvolvimento, pois se prevê que a pandemia afete os avanços alcançados na redução das desigualdades
  11. Conseguir que as cidades e assentamentos humanos sejam inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis. Os dados da ONU mostram que 156 países já desenvolveram políticas urbanas nacionais, mas apenas metade estão sendo implementadas.
  12. Garantir padrões sustentáveis de consumo e produção. Como mencionamos no início do artigo, ainda  existe um grande consumo de plásticos. No entanto, no ano de 2020, foram informadas 700 políticas e atividades de implementação no âmbito de programas sobre padrões sustentáveis de consumo e produção.
  13. Adoção de medidas urgentes para combater as mudanças climáticas e os seus efeitos. Muitos países e empresas estão fazendo um grande esforço para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, mas é necessário adotar mais medidas para frear as mudanças climáticas. 
  14. Preservar e utilizar de forma sustentável os oceanos, os mares e os recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. Sem dúvida, como se pode constatar a partir dos dados citados na introdução, a sustentabilidade dos oceanos está ameaçada principalmente pela contaminação por plásticos. 
  15. Proteger, restaurar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres. Os avanços para a proteção de áreas chave da biodiversidade se estagnou nos últimos cinco anos. Cada vez mais espécies enfrentam risco de extinção.
  16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável. A pandemia intensificou o risco de exploração de crianças para o trabalho infantil, com apenas 82 países possuindo instituições nacionais independentes de direitos humanos que cumprem as normas internacionais.
  17. Fortalecer os meios de implantação e revitalizar a aliança global para o desenvolvimento sustentável

    Cerca de 63% dos países de renda baixa e baixo-média tem necessidade de financiamentos extras a fim de enfrentar a pandemia.

Como se pode ver, o relatório da ONU salienta a necessidade de grandes progressos para que os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável sejam alcançados até 2030. Neste sentido, de um ponto de vista individual , cada um tem a responsabilidade de agir e de se capacitar para garantir o desenvolvimento sustentável.

 

 

Com este propósito e para ajudar as pessoas a progredirem, superar os desafios da quarta revolução industrial e crescer de forma inclusiva e sustentável, o Banco Santander está comprometido com três conceitos-chave para promover a empregabilidade: aprendizagem contínua, reciclagem profissional e formação complementar. Para isso, conta com o portal Bolsas Santander, um programa global, único e pioneiro.

Se você busca continuar crescendo, tanto pessoal quanto profissionalmente, consulte o portal de Bolsas Santander, que reúne centenas de oportunidades de formação em instituições internacionais de prestígio. Você poderá acessar treinamentos em tecnologia, idiomas, estudos, pesquisa, soft skills, estágios e liderança feminina, que te ajudarão a melhorar sua empregabilidade e redirecionar sua carreira profissional.

Quer se tornar um lifelong learner e continuar aprendendo para aumentar suas oportunidades de trabalho? O portal Bolsas Santander oferece muitas opções para que você possa atingir seus objetivos. Consulte a plataforma e lembre-se, você pode se inscrever em quantos programas quiser. Aproveite a oportunidade!

Ver mais posts interessantes...